Kurumim morreu… E já foi tarde!

Esta semana saiu a notícia que o projeto Kurumim Linux morreu.

Tem muita gente que ficou chateada com a noticia, mas confesso que achei bom. Calma vou explicar.

Desde a época que o projeto foi lançado eu já questionava se existia a necessidade de haver mais uma distribuição. Não vou tirar os méritos dos recursos que foram implementados, são até bons, mas ainda sim não justificavam sua existência.

Um outro fator que me leva a pensar desta forma é achar que o Kurumim era uma cama de gato. Não me lembro de quantas vezes quebrei o sistema tentando fazer coisas que em qualquer outra distribuição seria tranquilo (como instalar programas via apt em de um repositório não padrão).

Testei o Kurumim por algum tempo, e em algumas versões diferentes. E em todas as versões que testei sempre me sentia desconfortável, pois não a distribuição robusta ou bem acabada. Fazer algo fora dos “ícones mágicos” era quebrar alguma coisa na certa.

Uma outra coisa que me incomodava eram as mensagens extremamente longas explicando o que o tal “ícone mágico fazia”. Pra quê uma mensagem enorme? Sabe-se muito bem que usuários iniciantes não lêm mensagens. Outra, se for pra ler esses avisos melhor ler os manuais dos próprios programas.

Não vou estou dizendo que o Kurumim não prestava, simplesmente não funcionava pra mim, minhas necessidades eram outras. Além disso, não achava interessante recomendá-lo a um iniciante pois ele ficaria acostumado com as facilidades pseudo-facilidades da distribuição e não se esforçaria para entender como realmente funciona um sistema Linux.

Creio que um sistema fácil sem ser robusto não é produtivo. Nesse aspecto pegaram bem a essência do Windows, fácil de usar mas tão robusto quanto um bêbado em uma ladeira. E essa, não é a essência de um sistema Linux.

Pra mim o Kurumim já foi tarde.

E vocês o que acham do Kurumim Linux ser descontinuado?

7 Comments.
  1. Desculpa discordar, mas acho que um OS deve ser simples de usar, e o Kurumin deixava o uso fácil.

    Nem todo mundo gosta de ficar aprendendo códigos e compilando programas.

    O que todo usuário quer é poder entrar em seu Orkut, conversar pelo msn ou digitar um texto; e quando um desses programas não fucionar, ele quer encontrar a solução de forma simples. Por quê? Porque ele não tem interesse nem tempo para aprender como o navegador dele faz para abrir uma página ou quais linguagens foram usadas na criação da mesma.

    Pelo seu texto, fica parecendo que você quer que todo mundo aprenda como um OS funciona, mas quase ninguém quer aprender (e seria bom se quisessem) isso, por estar fora da área de interesse.

    O que faz o Open Source me interessar não é o fato de ele ser complicado e eu ter que aprender vários códigos. O que gosto nele é que com um pouco de boa vontade ele pode funcionar tão facilmente quanto um windows, mas sempre que eu precisar poderei utilizar os códigos.

    Quanto ao Kurumin quebrar quando se tenta fazer algo pela linha de comando, não sei, pois não utilizo ele, mas foi o primeiro linux que conheci e testei por live cd.

  2. boas, não sou da mesma opinião :)
    Tenho um Kurumin como uma distribuição que sempre me agradou desde do inicio. Tendo sido das primeiras que melhor suportou um grande parte do hardware que testei algum tempo (3anos) atrás. Além de simplificar uma série de configurações iniciais (mp3, divx etc), que na altura não era tão simples como agora no Ubuntu.

    De qualquer forma tudo tem um inicio e um fim, e o Kurumin não escapa a isso.

    Um grande bem haja ao criador do Kurumin pela sua iniciativa e trabalho.

    1abraço

  3. Douglas

    Também acho que foi tarde !

    Gastaram muito seus esforços para uma distro que já não atendia mais a necessidade de muitos e queriam concorrer com distro arrebatadoras ( Fedora, Mandriva, OpenSuse, Ubuntu, etc.), que tomaram todo o sucesso e prestígio. Bem …

    O projeto já estava mesmo sem rumo, tanto que tentaram criar mais um Ubuntu com um artwork diferente. Pelas palavras do Morimoto: “O Kurumin NG não vingou !”

    Era mesmo chegado o fim !

  4. Silfar

    Não é uma questão de concordar ou não, acho que o Kurumin teve sua cota de contribuíção para o que é hoje o linux no Brasil, eu pessoalmente não gostava das primeiras versões, o menu era bagunçado demais, com atalhos duplicados.

    Gostei muito do kurumin NG, sempre tentei usar o ubuntu com kde, mas o kunbunto sempre me trouxe problemas, com o NG funcionou tudo numa boa e achei bem rapido também.

    Sáo uma dúvida que distro vc usa atualmente ?

  5. Não concordo, o kurumim era uma boa opção pra iniciantes e só ficou ruím com a nova versão a (ng); Gostaria que o Morimoto continua a antiga versão(7).

  6. Sou grato ao Kurumim por ter sido com ele minha primeira experiência no mundo Linux. E foi fantástica! Em menos de cinco minutos, usando um live cd, eu estava conferindo meu saldo no Bradesco. Sem instalar nadica! Coisa que nem sempre consegui tão redondamente no rwindows.

    Mas em pouco tempo cansei do Kurumim. Não sei explicar bem a razão, mas havia algo de feio, de não-acabado, não-atraente no Kurumim. Não sei se pelo fato de ser um projeto exageradamente pessoal, se foi por causa de alguns arranca-rabos que li no fórum, se foi pelo jeitão rwindows de ser em exagero (clique, próximo, fim)… Não sei mesmo. Só sei que depois que conheci o Ubuntu (e testei várias outras distros no meio do caminho, das famosas às obscuras), não me interessei por nenhuma outra.

    Parece declaração de amor, né? Mas é só opinião de leigo. Fato é que não sentirei falta do Kurumim. E obrigado pelo que fez por nós.

  7. Edison

    Discordo totalmente de sua opinião. Você deve compreender que está é sua e só sua. Como o Rob Ville disse, um usuário comum, não quer saber o que o programa faz para executar um comando, muito mesmo aprender códigos complicados para executar uma tarefa simples como transferir um arquivo de hd a outro. Foi essa uma das sacadas da Micro&soft, que fez com que o windows com suas facilidades de arrastar, copiar e colar, que o tornaram o OS, mais vendido do mundo. Lembra do dos? Pois o linux ainda está nessa, justamente pela cegueira de alguns de nós, que por serem nerds, acham que todos tem a paciência de ficar lendo manuais. O Vista além de ser uma porcaria, envia avisos para tudo o que vai fazer, isso deixa a maioria dos usuários entediados, e com raiva do sistema. O Kurumim, para mim, no inicio também parecia chato, mas logo percebi que com alguns ajustes, tornaria-se um concorrente forte ao windows. Para mim foi uma pena ter visto o projeto morrer na casca, e torço para que alguém, um dia tenha tempo e recursos disponíveis para ressucitá-lo.

    Abraços

Comments have been disabled.